Após relatos de algumas cidades, dentre elas o município de Aracaju, sobre alguns lotes da vacina CoronaVac apresentarem menos doses do que previsto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu avaliar a quantidade de doses em frascos de vacina. Após o estudo, a conclusão da investigação é que não houve falha técnica no envase da vacina e que os frascos do imunizante contêm 10 doses, conforme previsto.

Ainda de acordo com a Anvisa, relatório final aponta que o mais adequado para a retirada e aplicação das doses da vacina CoronaVac são as seringas de 1 ml, que têm uma maior precisão para cada dose. “O problema dos frascos que rendem menos de 10 doses está relacionado a erros de extração do frasco multidose, principalmente pelo uso de seringas inadequadas. De acordo com a avaliação técnica feita pela Anvisa, o uso de seringas de 3 ml não seria o mais adequado para a extração das vacinas, que possuem doses de 0,5 ml”, relata a agência reguladora.

Para chegar a essa conclusão, os técnicos da Anvisa realizaram uma inspeção na linha de envase da vacina CoronaVac, no Instituto Butantan, que constatou que cada frasco tem entre 5,5 ml e 5,9 ml, o equivalente a 10 doses, já considerada a margem de segurança necessária. Também foram realizados testes de extração e a avaliação de queixas relativas a seringas e agulhas, constantes no banco de dados da Agência.

Com informações da Anvisa