Nada como um clássico, um derby, o Clássico Maior, para alegrar o coração dos torcedores e apaixonados por futebol em terras sergipanas. Finalmente Sergipe e Confiança se enfrentaram em 2021. Resultado? O tabu imposto pelo Dragão do Bairro Industrial desde 2018 continua. São três anos sem que o time colorado consiga vencer seu arquirrival.

Mas, aqueles que pensaram e até falaram que seria fácil para o time azulino bater o time colorado, citando o fato de o Confiança estar na Série B do Campeonato Brasileiro, ser o atual campeão estadual, e sim, estar vivendo uma fase bem melhor que o Sergipe em diversos aspectos nos últimos anos; tiveram que engolir as palavras a seco e se render a uma das máximas do futebol que diz – “Clássico é Clássico”.

Apesar de viverem realidades totalmente diferentes, o que vimos em campo foi um jogo equilibrado e bem disputado. Ao seu estilo, ambas as equipes buscaram a vitória, o Confiança deteve mais a posse de bola e e buscou controlar o jogo. Já o Sergipe apostou nos contra-ataques e ainda assim finalizou mais vezes que o adversário.

Como um bom derby, o jogo foi decidido nos detalhes, não fosse a boa defesa do goleiro Rafael Santos (confiança) já no fim da partida, o jogo poderia ter terminado com igualdade no placar. Não aconteceu.

O confiança venceu mais uma e isso deve ser ressaltado, o tabu continua e cabe ao Sergipe correr atrás do prejuízo para mostrar ao seu torcedor que os tempos de glória não ficaram apenas no passado.

A atual superioridade do Dragão do Bairro Industrial é inegável, a intenção aqui não é apoiar o negacionismo, muito menos ficar presa a um saudosismo pautado na imensa história do Sergipe.

O objetivo é apenas mostrar, que mais uma vez foi comprovado que a palavra “favoritaço”, ou as expressões “já ganhou”, “não tem disputa”, “vai ser um passeio” devem ser usadas com moderação ao se referir a um clássico. Pois, quem alimenta o futebol é a rivalidade, e nada pode superar isso.