Depois de registrar um novo recorde de internações por covid-19, a rede hospitalar de Sergipe vive atualmente o momento mais agudo da ausência de leitos de UTI desde o começo da pandemia. O boletim mais recente da Secretaria de Estado da Saúde (SES), atualizado na noite desta quinta-feira (3), indica que 85 pessoas estão à espera de uma vaga de terapia intensiva.

Com a sobrecarga do sistema de saúde, muitos pacientes que precisam de um leito de UTI são mantidos em leitos de estabilização mesmo com o agravamento do quadro da infecção. No SUS, 80 pacientes aguardam uma vaga. Já na rede particular, 5 pessoas estão na fila de espera.

O acesso à vaga é definido em uma central da Secretaria Estadual da Saúde que recebe a solicitação da equipe médica e classifica o risco, através de informações sobre as condições clínicas, exames complementares e diagnóstico médico do paciente.

Na terça-feira (2), 868 pacientes com covid-19 estavam internados em leitos de UTI e enfermaria. Esse foi o maior número registrado desde março de 2020 e superou também a marca de março deste ano, quando o total de internados chegou a 820. Atualmente, existem 847 pessoas hospitalizadas.

Esses números colocam a taxa de ocupação geral no Estado em 90%. Nos hospitais públicos, 98% dos leitos de UTI estão ocupados. Já na rede privada, há pacientes em 95,6% das vagas de terapia intensiva. O tempo de internação de cada paciente tem influenciado na manutenção dos índices elevados, segundo as autoridades em saúde.

Sergipe acumula mais de 240 mil casos confirmados de covid-19 desde o começo da pandemia, com 5.160 vidas perdidas. No Estado, 218 mil pessoas são consideradas recuperadas clinicamente e outras 15,4 mil mantêm o isolamento domiciliar.