Há seres que são destinados a exercerem o papel entre a divindade e os seres humanos. Carregam nas mãos as chamas trazidas do mais elevado e as põem ao dispor dos meros mortais. No Mercado Central de Aracaju, há muita gente assim. Seu José Freire e Dona Zenaide, mais conhecidos como Seu Careca e Dona Zene, pertencem à categoria de seres superiores a nós. São os proprietários da mais antiga casa de artesanato daquele espaço comercial. Fazem todos os dias a ponte entre o divino do artesão, que com sua manufatura faz cada obra única, e colocam em nossas mãos a singular beleza da Arte que permeia o trabalho manual. Ali, temos um templo.


Há décadas, tiram o sustento dessa labuta e honram a todos aqueles que têm o privilégio de conhecê-los. Sinto-me, neste instante, um dos eleitos por poder partilhar da presença do divino através dessas vidas. Vida longa e longa Arte para todos nós!

Foto de 2019, pré-pandemia