Força-Tarefa Covid-19 da Universidade Federal de Sergipe (UFS) divulgou nesta terça-feira, 4, que foi confirmado aqui no estado o primeiro caso de Flurona, situação em que o paciente está infectado simultaneamente pelos vírus da gripe e covid-19.

Segundo o professor Lysandro Borges, coordenadora da Força-Tarefa Covid-19 da UFS, a pessoa duplamente infectada é uma mulher de 25 anos, biomédica e moradora de Aracaju. Ele procurou o serviço de urgência de um hospital particular se queixando de dor de cabeça, febre alta, coriza e falta de ar. O resultado dos exames saiu na última terça-feira, 28, e foi emitido por um laboratório da rede particular.

O professor destacou a importância das testagens em massa e do uso de máscaras, álcool em gel e do distanciamento social. “É importante incrementar as testagens em massa nos municípios com RT-PCR, que consegue distinguir se a pessoa está contaminada com os dois vírus. O uso da máscara, do alcool em gel e o distanciamento social nunca foram tão importantes nesse período, no qual enfrentamos uma superlotação nos ambulatórios com pacientes com sintomas de Influenza e da covid-19”.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que não foi notificada da situação e explicou que neste tipo de caso somente o Laboratório Central de Sergipe (Lacen) pode confirmar a dupla infecção.

Flurona

O primeiro caso de Flurona neste ano foi detectado em Israel, em uma mulher grávida não vacinada, de acordo com o Ministério da Saúde daquele país. Os primeiros casos de Flurona já tinham sido detectados nos Estados Unidos em 2020, primeiro ano da pandemia de covid-19. No Brasil, há casos confirmados de Flurona em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Ceará e no Mato Grosso. O termo foi criado a partir da palavra “flu” (gripe, em inglês) e “rona” (de coronavírus).

Com informações da Agência Brasil