A sequência de alta no preço da gasolina vendida nos postos de Sergipe não dá trégua. Nos primeiros dias de novembro, o valor médio do combustível registrou uma nova elevação de R$ 0,14 centavos, em comparação à semana anterior. Os dados constam no levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Atualmente, o sergipano desembolsa em média R$ 6,73 pelo litro da gasolina na hora de abastecer o carro. O menor valor encontrado foi de R$ 6,47 nos postos pesquisados, mas há estabelecimentos em que o produto já está custando mais de R$ 7. 

O levantamento se refere ao período de 31 de outubro a 6 de novembro.

No ranking dos estados nordestinos, Sergipe aparece entre os três com os preços máximos mais baratos (confira abaixo).

Em outubro, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a gasolina ficou 3,8% mais cara em Aracaju, sendo um dos itens responsáveis por puxar a inflação na capital sergipana, que encerrou o décimo mês do ano com aceleração de 1,14%.

O secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, explicou que o congelamento na alíquota da base de cálculo do ICMS, em vigor desde 1º de novembro e pelos próximos três meses, não configura necessariamente benefício fiscal.

Pelo cálculo de composição de preços da Petrobras, em Sergipe, quando o valor médio da gasolina é cotado a R$ 6,73, o imposto estadual cobrado é de cerca de R$ 1,95 por litro.

Durante esse período em que a cobrança do ICMS se manterá inalterada, os Estados pretendem observar o comportamento dos preços.

O secretário destacou a unanimidade da decisão do Confaz, o que demonstraria a disposição dos Estados em contribuir para a solução do problema, embora considere como ponto fundamental a revisão da política de preços da Petrobras, baseada na Paridade de Preço Internacional (PPI), que leva em conta o preço do petróleo no mercado internacional, o câmbio e os custos de importação do produto.

Segundo analistas ouvidos pelo Estadão, apesar de realizar aumentos com frequência, os preços cobrados pela estatal nas refinarias ainda estão abaixo do negociado no exterior, levando a uma defasagem que deve ser aos poucos reduzida, já que o preço do petróleo não para de subir e o real tem se desvalorizado.

Gasolina no Nordeste 

Piauí – R$ 7,29
Ceará – R$ 7,19
Alagoas – R$ 7,19
Rio Grande do Norte – R$ 7,29
Pernambuco – R$ 7,49
Bahia – R$ 7,00
Sergipe – R$ 6,99
Paraíba – R$ 6,89
Maranhão – R$ 6,79