O deputado Gilmar Carvalho, na Sessão Mista da Assembleia Legislativa realizada nesta terça-feira, 23, falou sobre alguns tópicos.

O primeiro deles se refere às atitudes do Governador do Estado, Belivaldo Chagas, sobre as vacinas contra a Covid-19. O governador não incluiu o Estado de Sergipe no comunicado feito por mais de uma dezena de governadores, solicitando ao Ministério da Saúde a autorização para comprar vacinas para seus estados, independente da atuação da União.

“É claro que nenhum estado tem a autorização, pelo menos até agora, de efetuar a compra, mas os Estados manifestaram oficialmente o desejo de comprar as vacinas, agora depende, naturalmente, do Ministério da Saúde, e quem sabe a justiça tomar uma providência, uma decisão que permita essa compra”.

Gilmar também comentou sobre a taxa de esgoto da Deso, mencionada por outros parlamentares, afirmando ter apresentado, em anos anteriores, dois projetos de iniciativa popular, com assinaturas da população, mas que não foram submetidos à apreciação do plenário.

Por fim, o deputado mostrou preocupação sobre o Projeto de Reforma Administrativa e com os servidores públicos. “Aprovando essa reforma no Congresso Nacional irão destruir a estabilidade do servidor público. Para a próxima quinta-feira, está prevista a aprovação da PEC Emergencial no Senado da República, Havendo aprovação, será retirada a obrigatoriedade pelos Estados e Municípios, e da própria União, de destinar recursos próprios para a Educação e Saúde.

Infelizmente as reações têm sido muito pífias, até agora. É necessário que sejam duras, inclusive com a participação das bancadas federais. Eu não consigo entender como é que nós temos em Sergipe, oito deputados federais e três senadores e não houve até hoje, ou pelo menos até agora, reação dura a essa possibilidade, que lamentavelmente se concretiza cada vez mais”, finalizou Gilmar Carvalho.

Fonte: Ascom Parlamentar