O governo do Estado anunciou no final da tarde desta quinta-feira (22) a prorrogação das restrições sociais e do toque de recolher no formato atual, das 22h às 5h, por mais sete dias. A decisão foi tomada durante a reunião do comitê técnico científico que monitora a situação epidemiológica da pandemia da covid-19 em Sergipe.

Na reunião com gestores dos 75 municípios sergipanos, pela manhã, foram apresentadas projeções preocupantes sobre o avanço da covid-19. Ainda assim, a proposta do governador Belivaldo Chagas para manutenção das restrições até o dia 29 de abril foi acatada pela maioria dos integrantes do comitê. Interlocutores apontam que há uma preocupação do chefe do Executivo com o impacto dessas medidas junto a segmentos do setor produtivo. 

As aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino dominaram boa parte das discussões na reunião desta quinta, mas ao final, foi acordado que a decisão será tomada próxima quarta-feira, às 11h. No caso das escolas particulares, elas tinham sido retomadas em janeiro, mas foram suspensas em março por causa do aumento de casos e a nova data prevista para retorno é 3 de maio.

O governador ouviu de gestores sergipanos que a redução do toque de recolher acabou estimulando o relaxamento por parte da população. Houve consenso, no entanto, que o mau comportamento de parte da sociedade em relação às medidas preventivas – especialmente no interior do estado – já vinha sendo observado há algumas semanas. 

Sergipe ultrapassou esta semana a barreira das 4 mil vidas perdidas desde o começo da pandemia e se aproxima dos 200 mil casos positivos para a covid-19. O Estado vive o pior momento em relação à pressão sobre a rede hospitalar, com mais de 840 pessoas internadas e a taxa geral de ocupação beirando 100%.