Na noite desta quarta-feira, 20 de outubro, o sertão sergipano presenciou a abertura da II FESTA LITERÁRIA DE GLÓRIA (FLIG), que este ano acontece de forma híbrida devido aos protocolos das instituições sanitárias de prevenção à COVID-19. O evento é organizado pela Academia Gloriense de Letras (AGL) com o apoio da Prefeitura Municipal através da prefeita Luana Oliveira e irá até essa sexta-feira, 22.

A programação presencial aconteceu na Praça Filemon Bezerra Lemos (Praça do Coreto), onde a acolhida ficou sob responsabilidade de Ancelmo Aragão, no palco literário (Coreto); logo em seguida houve a solenidade de abertura da II FLIG com a Conferência: Os impactos da pandemia nos setores culturais, que ocorreu na Câmara Municipal, com transmissão ao vivo pelo canal da Academia Gloriense de Letras no Youtube e pelo seu perfil oficial no Facebook.

Na solenidade, o Acadêmico Francisco Diermerson (CEC/ALA/SE) mediou as falas da cantora, compositora e jornalista Antônia Amorosa (AIL/SE) e do artista plástico e escritor Antônio Cruz (CEC/ALA/SE).   

A noite de abertura ainda contou com lançamentos de livros, exposições, cordel, e Sarau no Coreto com a apresentação de dança, música, teatro e poesia. Virtualmente, no canal da Academia Gloriense de Letras no Youtube ocorreu também no período da manhã a realização de mesas-redondas e rodas de conversas.

A primeira noite da Festa Literária de Glória também contou com a belíssima apresentação da Companhia Entreolhares.

Nesta edição, ocorrerá a distribuição gratuita de mais de 2 mil “Cordel da FLIG”, de autoria do acadêmico e professor Jorge Henrique, para estudantes das escolas públicas do município. Além dessa novidade há a presença de dois mascotes que irão percorrer todo o espaço da FLIG, alegrando crianças, jovens e adultos.   

A Festa Literária de Glória é um evento que não tem fins lucrativos, mas culturais e sociais. Da mesma forma da primeira edição, a organização de toda a Festa conta com a participação de diversos colaboradores e voluntários, cujo lema é “Abra um livro e crie asas”. 

Por: Egicyane Lisboa, DRT/2088-SE

Fotos: Gisselmo Júnior