O Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen-SE) sequenciou genomas completos do Sars-CoV-2 em pacientes residentes de 24 municípios sergipanos e ao menos outros cinco estados brasileiros. 

Um boletim sobre o sequenciamento, publicado na sexta-feira (14), mostrando resultados da análise de amostras da carga viral de 204 pacientes, confirmou 12 linhagens do coronavírus em circulação em Sergipe, entre elas, quatro variantes de atenção apontadas pelo Ministério da Saúde: a P.1, a P.2, a B.1.1.28, todas de origem brasileira, e a B.1.1.7 do Reino Unido.

O estudo constatou a transmissão comunitária da variante de Manaus (P.1) nos municípios sergipanos de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Boquim, Canhoba, Canindé do São Francisco, Capela, Cedro de São João, Itaporanga D’Ajuda, Laranjeiras, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora do Socorro, Porto da Folha, Riachuelo, Ribeirópolis, São Cristóvão e Simão Dias e no município baiano de Alagoinhas, além da entrada da variante N.9, fruto da mutação da linhagem B.1.1.33, que foi encontrada originalmente em São Paulo. 

A análise reforça que a mobilidade social é um fator determinante para a disseminação do coronavírus e suas variantes, que surgem de mutações. Portanto, o uso de máscara, o distanciamento social e a higiene frequente das mãos continuam sendo as medidas  preventivas mais indicadas para controle do contágio.

Em Sergipe, mais de 215 mil casos positivos da covid-19 já foram registrados desde o começo da pandemia e 4,6 mil morreram em decorrência da doença.