Formado exclusivamente por mães de todo o estado de Sergipe, o movimento apartidário intitulado como ‘Lactantes pela Vacina/SE’ foi formado com o intuito de reivindicar a vacinação da covid-19 para as lactantes que amamentam seus bebês após os primeiros 45 dias de vida.

De acordo com Emanuella Portela, lactante e membro do movimento, o intuito da criação do grupo não é para furar a fila da vacinação, mas que o grupo seja incluído como prioridade. “Estamos lutando por essa inclusão na vacina, pois sabemos dos benefícios que isso irá trazer tanto para nós quanto para nossos bebês”, declara. “O estado já começou a vacinar as grávidas e as puérperas com comorbidades, então também queremos que o Estado também considere a relevância de vacinar as lactantes”, completa.

Segundo Emanuella, o movimento possui argumentos suficientes para que o Estado possa fazer alguma coisa pelas lactantes de Sergipe. “Já foi comprovado que o anticorpo da vacina é passado para o bebê através da amamentação. Então se a gente considerar que os bebês de até dois anos de idade não podem usar máscara de proteção contra a covid-19, a vacinação das lactantes seria uma medida de proteção para os bebês.”, explica.

Emanuella também explica que o receio da exposição dos bebês neste momento difícil da pandemia traz malefícios para quem tem um bebê em casa. “Muitas mães deixam de ir ao pediatra pelo fato de que os bebês não podem usar a máscara. Existem também as lactantes que já voltaram ao trabalho presencial e precisam deixar os bebês em alguma creche ou na casa de outra lavar”, relata.

Existem também as problemáticas apontadas pela lactante que são consideradas pertinentes para o movimento. “E caso a mãe seja contaminada por covid-19 e precise ser hospitalizada, como ficará a amamentação do bebê? Ele será exposto, sem máscara, em um ambiente perigoso? Precisamos que isso seja solucionado, pois sabemos que o número de óbitos de bebês por covid-19 não está tão baixo”, destaca.

Emanuella Portela convida as mães interessadas a participarem também do movimento. “Alguns vereadores de Aracaju já se uniram à nossa causa e o nosso movimento está aberto para acolher novas mães que se interessem pela nossa proposta”, ressalta.

O movimento Lactantes pela Vacina/SE possui um perfil no Instagram, o @lactantespelavacinase e um grupo no WhatsApp para quem desejar participar. O movimento tem alcance nacional em outros estados do Brasil e existe desde maio no estado de Sergipe.

Secretaria de Estado da Saúde

Em relação a reinvindicação do movimento Lactantes pela Vacina/SE, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), informou que segue a definição dos grupos prioritários confirme estabelecidos no plano nacional de vacinação e que aguarda a chegada de vacinas destinadas a este grupo para iniciar a vacinação contra covid-19.

Fonte: Infonet