Diferente do que tem sido especulado nos últimos dias, o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, não trabalha neste momento com a possibilidade de decretação de um lockdown para conter o avanço da covid-19. Embora os registros de novos casos e as internações sigam em alta nos hospitais do estado, internamente há avaliação de que o sistema de saúde tem suportado a pressão dos últimos dias e já existe uma articulação para a ampliação do número de leitos disponíveis aos pacientes infectados pelo novo coronavírus. 

“Não me consta. Apesar da insistência de alguns setores da imprensa. Uma coisa de cada vez. O momento é de medidas restritivas. Lockdown só em último caso”, disse o governador Belivaldo Chagas, no grupo Café com Política, em resposta a um questionamento sobre a possibilidade de fechamento das atividades não incluídas nas categorias essenciais/especiais a partir do próximo dia 14. 

fala do chefe do Executivo sergipano chega em um momento em que governos estaduais de quase todo o país, incluindo o de Sergipe, se articulam para a elaboração de um pacto nacional de enfrentamento à covid-19. Essa mobilização conjunta deve envolver, dentre outras ações, o reforço das medidas de distanciamento social e a tentativa de negociações para compra de mais vacinas. Entre as classes política e empresarial, no entanto, há questionamentos sobre como essa iniciativa de abrangência nacional seria viabilizada sem a coordenação do governo central.

Desde a sexta-feira passada, o governo sergipano ampliou as restrições para comércios, serviços, órgãos públicos e eventos. Além da proibição de funcionamento entre 22h e 5h e aos finais de semana, estabelecimentos públicos e privados devem manter uma ocupação máxima de 50% da capacidade em ambientes abertos ou fechados. Essas diretrizes valem, inicialmente, até o dia 21 de março, mas podem ser revistas até o final desta semana. O balizador, segundo o governador, é a taxa de ocupação de leitos.

Também no Café com Política, Belivaldo informou que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) deve anunciar nesta terça-feira (9) a ampliação de leitos exclusivos para pacientes com covid-19, bem como o quantitativo de novas vagas a serem abertas na rede pública estadual.

Sergipe tem, conforme o boletim mais recente da SES, 575 pessoas internadas em tratamento contra a covid-19. Nos hospitais particulares, a ocupação das UTIs está em 94%, com três deles operando acima da capacidade. Já na rede pública, cinco hospitais já não têm mais vagas  e a taxa geral de ocupação chegou a 80%.