Em duas semanas de vigência, 22.412 trabalhadores sergipanos já assinaram acordos de redução temporária de salários ou suspensão de contratos de trabalho pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm). Sergipe corresponde a 1,45% do total de acordos realizados no país.

Segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, essa segunda versão do BEm ajudou a preservar 1,54 milhão de empregos no país até o momento.

A medida provisória que reeditou o programa de preservação do emprego com suspensão de contratos ou redução de salários e de jornada foi publicada no dia 27 de abril. O programa funciona nos mesmos moldes do ano passado, quando vigorou por oito meses para evitar demissões em empresas afetadas pela pandemia de Covid-19, a grande maioria.

Equivalente a uma parte do seguro-desemprego a que o trabalhador teria direito se fosse demitido sem justa causa, o benefício emergencial (BEm) é concedido a trabalhadores que tiverem jornada reduzida ou contrato suspenso.

Nos acordos individuais, o percentual do seguro-desemprego equivale à redução salarial proposta pelo empregador.

No ano passado, em Sergipe, mais de 80 mil trabalhadores tiveram seus empregos preservados e mais de 144 mil acordos foram formalizados, alcançando um total de 12 mil empresas no estado.