A prefeitura de São Paulo começou a aplicar, na tarde desta segunda-feira (13/9), a vacina da Pfizer contra a Covid-19 como substituta para quem deveria tomar a segunda dose com a fórmula da AstraZeneca. O estado paulista está com déficit da vacina da Oxford, e o calendário de imunização está atrasado.

Na tentativa de continuar a vacinação, a troca de uma vacina pela outra, mesmo de fabricantes diferentes, foi aprovada pelo Ministério da Saúde, pelo Plano Estadual de Imunização e pelo Comitê Científico do Estado.

Segundo pesquisas recentes, a troca de imunizantes não é ideal, mas não faz mal. Um estudo recente do Reino Unido, publicado na revista científica The Lancet em janeiro deste ano, indicou que a mistura é segura.

Por: F5News via Metropolis