Durante o mês de março se comemora as conquistas e luta em defesa dos direitos das mulheres, a importância da ênfase para este mês são as reivindicações diária  por direitos ,  a constante batalha por direitos ainda não reconhecidos, ainda há sofrimentos  com o desrespeito no ambiente de trabalho, na rua e em casa. O dia 08 de março não é uma data comercial é uma data histórica marcada pela trajetória das mulheres na luta por direitos.
Vale destacar algumas conquistas;

Lançamento da Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã (1791) Marie Gouze, conhecida por Olympe de Gouges, foi uma feminista pioneira que divulgava a sua opinião e luta através da escrita e de peças teatrais.

Criação do primeiro algoritmo da Computação (1843) Augusta Ada King criou notas sobre uma máquina analítica de seu colega Charles Babbage entre 1842 e 1843.

Conquista do voto feminino no Brasil (1932) A bióloga Bertha Lutz é um dos nomes entre as pioneiras do movimento feminista brasileiro.

Criação da pílula anticoncepcional (1961) Margaret Sanger, enfermeira e sexóloga, é considerada a criadora do termo “controle de natalidade”.

Sancionado o Estatuto da Mulher Casada (1962) Foi só em 1962 que surgiu a Lei 4.121/62, o Estatuto da Mulher Casada, abolindo a incapacidade da mulher.

Primeira mulher presidente do mundo (1974) Sabelita Perón assumiu o governo da Argentina em 1974, depois da morte do seu marido Juan Domingo Perón.

Sancionada a Lei do Divórcio (1977) Foi somente no final da década de 70 que a dissolução de casamento se tornou uma realidade.

Criação do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (1987) Criado em 1987 e um dos pioneiros quando o assunto é conselhos de direitos da mulher no Brasil, o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM/RJ) resultou das reivindicações dos movimentos feministas do Rio de Janeiro. A finalidade dele é elaborar políticas públicas sob a ótica de gênero, objetivando igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.

Criada a Lei Maria da Penha (2006) De acordo com a ONU, a Lei Maria da Penha é a terceira melhor lei do mundo. Foi a partir da sua criação que a violência contra a mulher, seja doméstica ou intrafamiliar, passou a contar com penas mais rigorosas aos agressores.

Aprovada a Lei do Feminicídio (2015) Sancionada pela então presidente brasileira Dilma Rousseff, a Lei do Feminicídio torna hediondo o assassinato de mulheres por causa de discriminação de gênero ou em virtude de violência doméstica. A lei trouxe uma alteração para o Código Penal, prevendo a ação como homicídio qualificado.

Fonte: (https://www.dicasdemulher.com.br/conquistas-femininas/)

Ainda falta muito para conquistarmos, pois a desigualdade de gênero existe no mundo, mas acredito estarmos no caminho certo, buscando transbordar o nosso conhecimento, encorajando mulheres a buscar apoio, direitos e proteção.  Precisamos de mais e não vamos nos calar, quando cansar terá outra de nós para as ações diária.  Fazemos uma infinidade  de tarefas diárias , lutamos por tantos acontecimentos e um deles é que nós mulheres use o comportamento da sororidade, aprendamos a não julgar outras mulheres e ainda ouvir com respeito suas reivindicações, precisamos desconstruir a rivalidade que foi criada entre nós e pautar o sentimento de união.

Por: Gicélia Andrade