O Dia Mundial da Voz é celebrado internacionalmente no dia 16 de abril, data em que a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e o Sistema de Conselhos de Fonoaudiologia aproveitam para promover a Campanha Amigos da Voz, que em 2021 completa a sua 16a edição com o tema “Sua Voz Diz Muito Sobre Você”.

Durante o mês de abril fonoaudiólogos, otorrinolaringologistas, professores de canto e todos os profissionais da voz celebram a campanha e aproveitam para realizar ações sobre saúde e bem-estar vocal. O objetivo é promover a conscientização da população sobre a importância da voz humana, é uma oportunidade de disseminar conhecimento, orientar a população e auxiliar no encaminhamento adequado de problemas potenciais ou reais.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 7.650 novos casos de câncer de laringe. Esses valores correspondem a um risco estimado de 6,20 casos a cada 100 mil homens e 1,06 casos a cada 100 mil mulheres. Cerca de 60% dos casos de câncer de laringe se iniciam na glote, a área que contém as cordas vocais, enquanto 35% se desenvolvem na região da supraglote. O restante começa na subglote ou em mais de uma área. Os principais fatores de risco para o câncer de laringe são o cigarro e o álcool. A associação entre tabagismo e uso habitual de bebidas alcoólicas aumenta consideravelmente o risco de desenvolver a doença. Embora pouco frequentes, são considerados possíveis fatores de risco a infecção pelo papiloma vírus humano, o refluxo gastroesofágico e a poluição ambiental.

Dentro os sinais de alerta a serem investigados por um profissional, estão: rouquidão, ardência, falhas e cansaço para falar por mais de 15 dias, e sem motivo aparente, como infecções de garganta, esforço ao falar em situações de apresentação e afins.

Seja falada ou cantada, a voz é um dos aspectos da comunicação humana que mais chama a atenção e demonstra formas de ser e de pensar. Eu toco o outro com a minha voz sem tocar nele fisicamente, como um tato à distância. É um cartão de visita e revela aspectos importantíssimos da nossa natureza: aspectos biológicos quando estamos saudáveis ou não, aspectos sociais e aspectos psicológicos, sendo um sinalizador das nossas emoções. 

É importante saber que existem alguns hábitos e cuidados básicos que auxiliam na preservação da nossa saúde vocal. Então, confira as orientações valiosas:

• Fique atento aos primeiros sintomas de alteração vocal, como cansaço, ardor, dor ao falar/cantar, falhas na voz, pigarro e rouquidão duradoura. Eles podem estar relacionados a lesões nas pregas vocais. Rouquidão não é normal e por mais de 15 dias deve ser investigada;

• Beba bastante água ao longo do dia, principalmente durante o uso da voz a fim de garantir a hidratação e boas condições de mobilidade das pregas vocais;

• Tenha uma alimentação saudável e, antes de utilizar a voz continuamente, evite alimentos pesados, cafeína, leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate. Esses alimentos podem causar refluxo gastroesofágico, sendo este um grande vilão para a voz;

• O maior vilão da voz é o tabagismo. Então, cigarro nem pensar!

• Cultive uma boa saúde e boas atitudes: estabeleça uma rotina de sono e descanso; procure reduzir a quantidade do uso da voz durante quadros gripais e crises alérgicas; fale sem esforço e articule bem as palavras; mantenha uma boa postura corporal ao cantar ou falar; tente não falar por períodos longos em ambientes ruidosos; reduza abusos vocais como pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas;

• Para os cantores: ao cantar, procure se ouvir utilizando o retorno de sua voz. É comum, em shows com bandas, o cantor ouvir mais a banda do que sua voz. Isso pode afetar muito a voz, pois acaba excedendo a intensidade da sua voz e lesionado os músculos vocais;

• Desenvolva suas capacidades vocais com bons profissionais. Existe o trio de ouro da voz: otorrinolaringologista, fonoaudiólogo e professor de canto;

• No caso de suspeita de problemas vocais, procure imediatamente um fonoaudiólogo e um médico otorrinolaringologista. 

Fontes: SBFa e INCA

Por : Adriana Melo

(Fonoaudióloga, especialista e Voz e Disfagia e Preparadora vocal e cantora)

sigam: @fonoadrianamelo