A Lei 13.935 ,que dispõe sobre a prestação de serviços de psicologia e de Serviço Social nas redes públicas de educação básica.

Os profissionais atuarão por meio de equipes multiprofissionais atendendo as demandas da política de educação, esses profissionais atuando na escola fará um papel fundamental no que se refere a qualidade do ensino aprendizagem. A maioria dos municípios a realidade é o pedido de socorro dos trabalhadores da educação para os equipamentos de Assistência Social como os Centro de Referência de Assistência Social -CRAS e Centro de Referência Especializado de Assistência Social-CREAS esses equipamentos fazem parte da rede de proteção social e estão sempre dando o suporte, sendo que existe as diversas dificuldades pela demanda existente, pois a a escola requer um olhar mais amplo da violação de direitos que contribuem para a evasão escolar causando nesses jovens e seus familiares problemas diversos , a intervenção destes profissionais mudará o cenário trazendo mais segurança para os professores que muitas das vezes precisam parar a aula para tratar de uma demanda social, por vezes causando traumas por não poder resolver ou saber para onde encaminhar.


Falta a sensibilização dos gestores em compreender a importância desses profissionais, para regulamentar a lei e criar os cargos de Assistente Social e Psicólogo na educação salientando que estes precisam de um local de atendimento digno como sala para atendimento individualizado garantindo o sigilo profissional, para assim atender a comunidade escolar.


Vale lembrar que foi criada a frente sergipana pela inclusão de assistentes sociais e psicólogos nas escolas de Sergipe encabeçada pela presidenta da Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe (FETAM), Itanamara Guedes.