Após a divulgação do primeiro diagnóstico confirmado da variante delta do novo coronavírus em Sergipe, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta para a necessidade de intensificar os cuidados de prevenção ao contágio pela covid-19. Apesar do avanço da cobertura vacinal, o estado ainda não tem proteção suficiente, segundo a secretária da pasta, Mércia Feitosa.

A secretaria informa que a paciente identificada apresentou apenas sintomas leves, teve acompanhamento do município e cumpriu todo o isolamento social. Apesar do teste ter sido feito ainda em julho, a SES deixa claro que o sequenciamento genético, necessário para identificação da variante, leva mais tempo do que um simples teste RT-PCR.

A mulher buscou serviço privado de saúde após sentir sintomas gripais, mas, por ter tido contato com pessoas que viajaram para o estado do Rio de Janeiro, foi monitorada e seu teste enviado para laboratório, onde foi feito o sequenciamento genômico, que descobriu se tratar da variante.

A secretária Mércia Feitosa destaca que era esperada a chegada da mutação, já que apenas outros dois estados brasileiros ainda não têm confirmação da variação mais contagiosa do coronavírus. 

O diretor em Vigilância de Saúde da SES, Marco Aurélio Góis, reforça que esse tipo de vírus tem grande facilidade de transmissão e mutação. “É bom lembrar que a covid-19 começou com um surto gripal na China e rapidamente se espalhou por todo o mundo”, alerta. 

Ainda segundo Marco Aurélio, apesar de Sergipe ter saído de uma grande onda de casos e estar em um bom momento, com baixo registro de casos e há dias sem mortes pela doença, a chegada da variante ao estado lembra que é necessário manter as medidas protetivas, como uso da máscara, distanciamento social e procurar a vacinação completa.

Por: F5 News