Na Semana Santa, a mais importante do ano litúrgico, somos convidados à conversão  e à renovação da vida, celebrando o mistério central de nossa fé: a ressurreição de Jesus.


O Domingo de Ramos, lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aonde vai livremente para cumprir a sua missão.


Depois, no Tríduo Pascal, Jesus aprofunda cada vez mais o seu despojar-se. Na Santa Ceia, ao lavar os pés dos seus apóstolos, convida-nos a humildade e ao serviço.


Na celebração da Sexta-feira Santa, meditamos o significado da morte do Senhor, onde o Filho de Deus se fez homem e ofereceu-se como sacrifício de sua vida, para reparar diante dessa justiça todo o pecado da humanidade e na Vigília Pascal, nos vemos diante do sepulcro vazio, e as vezes nós também permanecemos ali com as nossas derrotas e nossos medos, mas somos surpreendidos pelo anúncio: “ Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui. Ressuscitou!” ( Lc 24, 5-6).


Nessa Semana Santa, o principal ponto é recordarmos a maior prova de amor de Deus por nós, que foi a entrega do seu Filho na cruz, para que pudéssemos experimentar a misericórdia do Pai.


Finalizo com uma passagem bíblica que reflete todo o amor de Deus por nós: “ Ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos (…) o castigo que nos salva pesou sobre Ele; fomos curados graças às suas chagas” (Isaías 53, 4-5).

Foi por mim, foi por você, foi por todos nós!

Foto: Sara Palma