Com a proximidade da estação mais quente do ano e com a escassez de chuva, a situação hídrica em alguns municípios sergipanos tende a se agravar. De acordo com análises da Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), dois reservatórios localizados no Agreste do estado encontram-se em estado de atenção, com volumes abaixo de 50%. Segundo o Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec), até agora 14 municípios já decretaram  situação de emergência por causa da seca ou estiagem.

Representantes dos órgãos de monitoramento se reuniram nesta sexta-feira (19), para avaliar os níveis dos reservatórios em Sergipe e discutir estratégias para o gerenciamento dos recursos hídricos, mediante as previsões climáticas e meteorológicas para os meses de novembro, dezembro e janeiro.

De acordo com o superintendente especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha, o encontro é realizado mensalmente para avaliar a situação hídrica, principalmente em relação à água armazenada nos reservatórios, que são monitorados quinzenalmente e a partir daí são avaliadas as medidas adequadas para cada quadro.

“Na reunião de hoje percebemos que o Jacarecica I e o Poço da Ribeira estão em estágio de atenção, isso significa que a gente precisa elaborar uma portaria, informando aos usuários sobre algumas medidas que precisam ser tomadas. Na parte de operação, tanto a Cohidro como a Deso tomam consciência também de como operacionalizar os seus sistemas, a partir do estágio em que os reservatórios se encontram”, explica.

Já o Depec tem a função de mitigar os efeitos dos impactos dessa escassez hídrica. De acordo com o diretor do órgão, o tenente coronel Luciano Queiroz, é hora de trabalhar a parte de prevenção e monitoramento dessas reservas e iniciar o planejamento de ações, caso seja necessário tratar de assuntos relacionados à situação emergencial, para que as ações preventivas sejam feitas, no intuito de mitigar os efeitos de algum colapso hídrico no estado. 

“Como a gente tem os prognósticos dos meses subsequentes, já percebemos que haverá uma diminuição considerável na pluviosidade em nosso estado, então é preparar ações para diminuir os efeitos de uma seca, até chegar a quadra chuvosa”, diz.

Segundo o diretor da Defesa Civil, são 66.726 mil pessoas afetadas pelos efeitos da seca no estado, dos municípios de Carira, Canindé de São Francisco, Frei Paulo, Gararu, Graccho Cardoso, Monte Alegre,  Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Glória, Pinhão, Poço Redondo, Poço Verde, Porto da Folha, São Miguel do Aleixo e Tobias Barreto. Um número que tende a aumentar nos próximos meses.

Atualmente, 12 municípios são atendidos pela Operação Carro-pipa (OCP), que leva água para a população que sofre com a estiagem em Sergipe.

Fonte: F5News