Sergipe apresenta hoje o maior número de títulos eleitorais cancelados desde o início da série histórica, iniciada em 2005 e realizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os dados mostram a situação ainda em 2019, quando a Justiça Eleitoral havia cancelado mais de 2,4 milhões de títulos de eleitores em todo o país.

Em Sergipe, somente naquele ano, foram 26.035 cidadãos que perderam os direitos eleitorais no estado.

Esse cancelamento acontece após o eleitor não votar e nem justificar a ausência após três eleições consecutivas, que podem ser referentes a primeiros e/ou segundo turnos, por exemplo. 

Com a situação irregular, o cidadão pode enfrentar diversas dificuldades, além de não participar das escolhas políticas do seu país, estado, cidade ou região. Confira abaixo algumas delas: 

– Obtenção da carteira de identidade ou passaporte;
– Recebimento de pagamentos (salário, remuneração, etc.) de diversas ramificações do poder público;
– Inscrição em concurso públicos;
– Renovação e matrículas em instituições públicas de ensino federal, entre outras

Como regularizar a situação do título de eleitor

Para ficar quite com a justiça eleitoral, o TSE orienta o pagamento das multas e, só então, a solicitação para regularizar o título. 

O valor da multa é de R$ 3,51 para cada processo eleitoral em que não tenha votado, seja 1º ou 2º turno no qual não houve a justificativa de ausência.

A partir daí, o cidadão pode se dirigir a qualquer cartório eleitoral e apresentar documento de identificação e comprovante de residência.

Menor número de jovens eleitores (16 e 17 anos) na história

Desde que o TSE começou a contabilizar a quantidade de eleitores por faixa etária, no ano de 1992, Sergipe apresenta hoje o menor número de votantes entre 16 e 17 anos.

Há 30 anos, o estado contava com 46.984 eleitores jovens, que não eram obrigados a participar do processo eleitoral.

Até o momento, os dados, atualizados em fevereiro passado, mostram que apenas 11.904 jovens nesta faixa etária estão aptos a participar da ‘festa da democracia’. 

Esse número tem caído ao longo do tempo nos anos de eleição presidencial, desde o início da série histórica. Confira os números de jovens que obtiveram o título nestes anos.

Em 2002 – 31.185 
Em 2006 – 30.116
Em 2010 – 29.439
Em 2014 – 17.336
Em 2018 – 16.493
Em 2022* – 11.904

*até o momento

Nesta eleição, diversos artistas, celebridades e políticos têm convocado os novos eleitores a tirarem seus títulos. Seja para regularizar ou tirar o novo títutlo eleitoral, o cidadão tem até o dia 4 de maio como prazo final, sem prorrogação.