O número limitado de doses das vacinas contra covid-19 disponíveis no país implicou na seleção de apenas parte dos grupos prioritários para o início da imunização. Em Sergipe, a contar de 19 de janeiro, quando todas as cidades já haviam recebido remessas da Coronavac – 25.416 pessoas foram vacinadas, segundo a Secretaria Estadual da Saúde (SES), o que representa uma média de 1,3 mil pessoas por dia.

Das 67 mil doses de vacinas recebidas – incluindo Coronavac e Oxford – cerca de 45 mil já foram enviadas aos 75 municípios sergipanos. A escassez de imunizantes afeta o ritmo de aplicação nas cidades, ainda que, neste momento, a campanha esteja voltada aos profissionais de saúde da linha de frente, indígenas aldeados, idosos e pessoas com deficiência institucionalizados – ou seja – públicos delimitados e que não precisam se deslocar até os postos de saúde. A SES projeta que o estado já alcançou 86% de cobertura vacinal dessa população.

Considerando a velocidade de imunização verificada nessas duas primeiras semanas, é possível projetar que seriam necessários 437 dias para garantir a aplicação da primeira dose da vacina apenas nas pessoas do grupo prioritário. Ou seja, somente em meados de maio de 2022 é que a vacinação dos 679.468 sergipanos incluídos nos grupos prioritários seria finalizada.

Atualmente, a prioridade é imunizar as populações mais expostas ou as mais vulneráveis à Covid-19, seguindo uma diretriz estabelecida pelo Ministério da Saúde, no Plano Nacional de Imunização. O governo estadual espera conseguir estimar até a próxima semana quando será possível avançar para a vacinação do segundo grupo prioritário de idosos, como já fazem algumas cidades no resto do país.

“Para avançar ainda mais precisamos ter conhecimento da quantidade de vacinas que vamos receber. Vamos elaborar um calendário para começar a vacinar os idosos, a partir de 80, 85 ou 90 anos, também, em função da quantidade de vacinas que vamos receber. Já atingimos 70% dos profissionais de saúde vacinados, faltam 30%. O foco continua sendo os profissionais de saúde, mas dependendo, vamos começar a vacinar os idosos”, disse o governador Belivaldo Chagas, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (4).

No contexto presente, não se sabe ainda quando os grupos populacionais não inclusos na prioridade serão imunizados.

Fonte: F5News